SET/OUT de 2020

Beduíno


Que encontrem o Salvador!


Queridos irmãos,
Graça e paz!

Samira nasceu em Mogadixo, capital da Somália. Ela tem 28 anos e é solteira. Faz cinco anos que ela chegou ao país na condição de refugiada. No início do ano, ela começou a frequentar as aulas de inglês no centro de desenvolvimento comunitário onde lecionamos. Logo nas primeiras semanas de aula, percebi que Samira mantém o hábito de chegar à sala de aula com aproximadamente uma hora de antecedência. Durante o período de espera, ela costuma tirar da bolsa o seu tapete de oração. Em seguida, ela se posiciona na direção da Caaba, em Meca, na Arábia Saudita, e faz uma das cinco orações diárias, seguindo os preceitos islâmicos. Samira acredita que a observância dos cinco pilares do Islã, os quais incluem as orações ritualísticas, contam como mérito pessoal diante de Deus. Todavia, para ela, a salvação é uma incógnita. Apesar de todo esforço religioso prescrito, a teologia islâmica não oferece aos muçulmanos segurança de salvação. Quando perguntado, nenhum muçulmano, por mais religioso que seja, ousa dizer onde passará a eternidade.

Os anos que tenho de vida cristã são quase os mesmos que Samira tem de vida. É constrangedor pensar que desfruto do Evangelho ao longo de todo esse tempo, enquanto ela, sequer, teve uma única oportunidade de ouvir que Jesus é o autor da salvação. Samira desconhece que o Cristo ressurreto realizou uma obra capaz de perdoar iniquidades, regenerar pecadores e reconciliar o perdido espiritualmente com Deus. Contudo, agora, Samira está mais perto de saber. Temos pedido sabedoria ao Senhor para compartilhar as boas novas com ela de forma ousada, estratégica e eficaz. Você pode orar conosco para que Samira e os nossos demais amigos aqui encontrem o Salvador?

A vida segue de forma intensa para a nossa família aqui. Pela graça de Deus, continuamos avançando em diversas frentes. Nos últimos dois meses, conseguimos progredir no aprendizado do árabe local e já nos sentimos bem mais à vontade no uso da língua. Também, progredimos em nosso curso de orientação transcultural e concluímos todos os ciclos/módulos: econômico, social, político e estético. Agora, o passo seguinte é a elaboração de uma monografia sobre algum tema relacionado à cultura. Quando as pesquisas forem concluídas, teremos alegria em compartilhar as informações reunidas com vocês.

É verão aqui no Oriente Médio e ao longo dos dois últimos meses as temperaturas andam bastante elevadas. Em uma recente onda de calor, os termômetros registraram mais de 50ºC em algumas regiões do país. Em uma cidade do extremo sul, fez tanto calor durante o dia que a alta temperatura derreteu um cone utilizado na orientação do trânsito. Todavia, o inverno no país também é rigoroso e mais prolongado. Assim, estamos sofrendo menos com o clima de verão do que sofremos durante o inverno.

A pandemia do coronavírus continua causando impactos por aqui também. As autoridades locais vinham controlando bem a propagação do vírus pelo país, mas durante as últimas três semanas ocorreu um salto no número de casos de COVID-19. Lamentavelmente, estamos vivendo o pior momento desde o início da pandemia e a nossa cidade é o epicentro da crise. Preocupa a frágil estrutura do sistema de saúde. Segundo publicou um jornal local, o país tem 900 leitos disponíveis e 864 já estão ocupados. Uma boa notícia, em meio à crise, é que, após um período aproximado de seis meses, os aeroportos foram reabertos e os voos internacionais foram retomados. Desse modo, estamos mais aliviados da sensação de clausura provocada pelo isolamento do restante do mundo que ocorreu a partir do fechamento das fronteiras terrestres, marítimas e aéreas.

Temos a alegria de compartilhar que a nossa equipe de trabalho está elaborando um programa de ensino infantil para atender crianças refugiadas de seis a dez anos. Muitas delas são privadas do acesso à educação infantil, seja por falta de vagas escolares designadas para refugiados, seja por falta de recursos para o pagamento das mensalidades (aqui, os serviços públicos, como escola, são pagos). O programa educacional vai oferecer matérias como árabe, inglês, matemática, ciências, etc. As principais necessidades são uma professora de inglês e recursos para contratarmos uma professora de árabe. Por favor, intercedam conosco para que o Senhor envie mais recursos e trabalhadores para a seara.

É um privilégio servir os nossos amigos refugiados em suas necessidades como forma de expressão do amor divino. Em nossa experiência, a interação com eles tem gerado amadurecimento, aprendizado e admiração. A resiliência dessas pessoas, diante dos sofrimentos causados pela guerra, é algo surpreendente. Os refugiados são para nós um exemplo de superação diária, pois dia a dia escolhem lutar pela vida, sonhar com um futuro melhor e buscar novos recomeços. A nossa oração e expectativa é que por meio do nosso serviço e testemunho, além de uma vida melhor, eles encontrem o Salvador.

Muito obrigado por seu imprescindível apoio em nossa retaguarda!

No Cordeiro,

Família Oliveira

Faça parte desta obra

A manutenção do nosso projeto missionário se dá por meio da contribuição voluntária de igrejas e pessoas físicas que amam a obra missionária.

Se o Senhor falar ao seu coração e você desejar investir em missões por meio das nossas vidas, por favor, entre em contato conosco e forneceremos todas as informações para que você seja um mantenedor do nosso ministério. Sua participação em nossa jornada será fundamental para continuarmos prosseguindo.

Você também pode participar de forma pontual, enviando-nos uma oferta especial através de uma das nossas contas bancárias:

Bradesco
Conta Poupança
Agência 0582-7
Conta 1008127-0

Banco do Brasil
Conta Corrente
Agência 1579-2
Conta 16946-3

PIX
Você também pode enviar a sua contribuição capturando a imagem do QR Code e colando o código de pagamento no seu ambiente PIX ou usando a seguinte chave PIX: Celular: +55 21 97187-1143.